19 / 06 / 2024

O Nordeste Está Aqui!

InícioEntretenimentoFestincineJP faz homenagem para ‘Las Luzineides’ e encerra Mostras Competitivas

FestincineJP faz homenagem para ‘Las Luzineides’ e encerra Mostras Competitivas

Festival termina hoje com premiação e a exibição inédita no Brasil do longa britânico ‘O Último Pub’, de Ken Loach

O Festival Internacional de Cinema de João Pessoa (FestincineJP) chegou ontem ao seu sexto dia de programação realizando as últimas exibições inéditas dos filmes que compõem as Mostras Competitivas desta edição. A sexta-feira (31) também foi especial devido à homenagem ao coletivo de cinema ¡Las Luzineides!, que teve papel crucial no desenvolvimento da cena audiovisual paraibana.

- Continua depois da publicidade -

Fundado em 1998, o grupo formado só por mulheres marcou época ao desafiar obstáculos técnicos, adotando um estilo de produção de ‘guerrilha’ em uma linguagem anárquica. Inovando ao fazer um cinema urbano, ¡Las Luzineides! produziram vários curtas, dos quais nove foram exibidos em sequência, no Centerplex do Mag Shopping. Uma rara oportunidade.

“O bacana de ver vários filmes na sequência é ter ideia do percurso que realizamos. Com um panorama geral assim, dá para entender o espírito do que a gente fazia, qual era a proposta da gente”, considera Liuba de Medeiros. De origem irreverente, o nome do coletivo partiu de um bordão usado pela atriz Claudia Jimenez na novela ‘Torre de Babel’, em que ela frequentemente gritava ‘Cala a boca, Luzineide!’ para uma personagem sem falas.

Formado por Ana Bárbara Ramos, Ana Isaura Dinniz, Ana Rogéria Araújo, Liuba de Medeiros, Katiuscia Furtado e Cristhine Lucena, o coletivo também se destacou por promover sessões de filmes independentes e engajar o público jovem.

Hoje coletivo também inspira principalmente as novas gerações de cineastas mulheres na Paraíba. “É importante que a gente esteja ocupando todos os lugares. Porque era muito mais comum, por exemplo, a gente estar num lugar de produção, mas não tinham muitas diretoras, como também não tinham muitas mulheres nos outros cargos técnicos, na elétrica e no som. Isso produziu essa geração agora que também está ocupando todos os lugares”, comemora Liuba de Medeiros.

ÚLTIMAS SESSÕES

A programação da sexta incluiu as exibições dos últimos filmes inéditos que concorrem aos prêmios das Mostras Competitivas deste ano. Foram apresentadas, ao longo de sete dias, 42 produções de realizadores brasileiros e internacionais, que vivem agora a expectativa pela premiação marcada para acontecer a partir das 19h deste sábado.

Coube ao curta-metragem baiano ‘Caluim’, dirigido por Marcos Alexandre, abrir o quinto dia da Mostra Competitiva. A produção foi seguida pelo documentário carioca ‘Corpos Invisíveis’, de Quézia Lopes. O longa aborda o apagamento social dos corpos negros femininos a partir da experiência pessoal e artística de 11 mulheres, que debatem identidade, ancestralidade e afetividades. A partir de entrevistas e performances, o filme busca responder a uma única pergunta: o que é ser mulher negra no Brasil?

“A gente pode pensar a partir da experiência pessoal de cada uma dessas 11 mulheres, o que a gente compartilha. Porque ser mulher negra no Brasil é uma experiência muito diversa, que é atravessada pelo pertencimento, pela questão da origem, se é periférica, pela identidade, sexualidade, se é uma pessoa cis ou se é uma pessoa trans”, afirma a diretora Quézia Lopes.

A programação cinematográfica do dia contou também com exibições de produções argentinas, como o curta ‘El Silencio del Corazón’, dirigido por Fernando Lazzarini, seguido pelo longa ‘Lo que queda’, de Mariel Escobar.

“O filme fala sobre os lutos. Não apenas os lutos de pessoas que deixam o plano físico, mas também os lutos de vínculos, os lutos de si mesmo, de coisas que vão ficando para trás e de como se vai mudando na vida. E assim, acredito que esse é o tema com o qual eu gostaria que as pessoas conseguissem se conectar. E, bem, espero que se comovam também”, declarou a diretora Mariel Escobar.

A sexta-feira foi o último dia também da programação de filmes inéditos da Mostra CineNordeste. As últimas exibições começaram ainda à tarde com o curta paraibano ‘Jacu’, dirigido por Ramon Batista, seguido do longa ‘Eros’, de Rachel Daisy Ellis, uma produção pernambucana.

LEIA TAMBEM:
Estado do Nordeste é o que mais vai crescer este ano no país
Escolas inovam com ensino a partir dos sonhos dos alunos
TSE lança concurso com vagas nos nove estados do Nordeste

DESTAQUES DO SÁBADO (DIA 1º)

Neste sábado, o FestincineJP apresenta uma programação especial que culmina com a cerimônia de encerramento e a exibição do aguardado filme ‘O Último Pub’, do aclamado diretor Ken Loach. O ator Dave Turner, que interpreta o protagonista, estará presente na exibição de encerramento do Festival.

14h – [Sala 1]: “O Tempo e o Vento” – Dir. Jayme Monjardim; 2013; Brasil; 115’ [14 anos]
19h – [Sala 1]: Encerramento e cerimônia de premiação
20h – [Sala 1]: “O Último Pub” – Dir. Ken Loach; 2023; Reino Unido/França/Bélgica; 113’ [16 anos]
22h – Usina Energisa: Festa de encerramento com Furmiga Dub [Sala Vladimir Carvalho]

Siga-nos no Instagram @portalne9!
Participe do nosso grupo no Telegram!
Participe do nosso grupo no WhatsApp!

RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais Lidas

- PUBLICIDADE -

Concursos e Empregos

Projeto vai preservar manuscritos de José Américo de Almeida

Documentos manuscritos do renomado escritor e ex-ministro José Américo de Almeida estão sendo digitalizados por uma equipe de pesquisadores da Fundação Casa de José...